E-mail: bloggccgs@gmail.com

Rádio OnLine Toque Da Cidade

15 de ago de 2009

Série de estupros mobiliza a Polícia e a Guarda Civil de Cotia. Uma das vítimas faz retrato falado.

Nos últimos dias, a Polícia Civil esteve empenhada em resolver cinco casos de estupro acontecidos nos últimos meses, em Cotia. Dois casos foram atrás do Corpo de Bombeiros, outros dois atrás do Hospital de Cotia, e um caso aconteceu na Estrada da Roselândia.
Na sexta-feira (14 de agosto), foram chamadas as vítimas para fazer o reconhecimento do rapaz preso pela Guarda Civil na noite de quarta-feira, atrás do IML de Cotia. Ele foi reconhecido por duas mulheres: P.M.S. e A.S.R. O reconhecimento do homem foi feito através do vidro de uma porta, na própria delegacia.
Após ser reconhecido pelas vítimas, A.L.M.V., de 29 anos, vulgo "Alemão", foi ouvido pelo delegado Dr. Helton Padilha. Diante do reconhecimento e do flagrante, o delegado mandou indiciá-lo e amanhã ele deve ser encaminhado ao CDP de Itapecerica da Serra.
A PRIMEIRA PRISÃO:
No último dia 15 de julho, uma das vítimas reconheceu, num ponto de ônibus, o homem que a violentou. Ela chamou a polícia. Veja a matéria aqui.
L.M.F., de 40 anos, casado e pai de um menino de 2 anos, foi preso e reconhecido 100% pela vítima, no meio de outros elementos.
Após vencida sua prisão temporária ontem (13), foi pedida a prisão preventiva e nessa sexta-feira(14), segundo o Delegado Helton Padilha do 1º DP de Cotia, o juiz autorizou e ele foi encaminhado ao CDP de Itapecerica onde aguardará o prazo da Justiça.
Com dois deles presos, resta agora encontrar o "moicano", que anda aterrorizando as vítimas perto do Corpo de Bombeiros.
AS VÍTIMAS:

21 de dezembro de 2008 - C.S.S., de 40 anos, viúva e mãe de 3 filhos, seguia a pé para o trabalho, por volta das 07:30 da manhã. pela rua localizada entre a FAAC e o Corpo de Bombeiros. Foi quando um indivíduo, também a pé, se aproximou e lhe deu uma "gravata", levando-a até um matagal ali existente. Após bater muito nela, ele a estuprou de todas as formas.

05 de março de 2009 - V.O.M.S, de 16 anos, viu um homem chegar armado numa moto. Ele a fez subir na moto e a levou para o bairro Vista Alegre, num campo abandonado, e a obrigou a fazer sexo oral, e enquanto ela negava ele batia nela. "Vou abusar de você e depois te jogo no rio", dizia. Foi quando ela fugiu correndo e pediu socorro numa casa.

10 de julho de 2009 - S.M.S., de 19 anos, por volta das 20 horas desceu do ônibus num ponto próximo ao Corpo de Bombeiros, voltando do trabalho. Não muito longe dali, foi surpreendida por um homem desconhecido que lhe agarrou pelos braços e disse estar armado, mostrando a arma e ameaçando ela de morte. Levou-a à um matagal perto do pontilhão onde a obrigou a mater relações com ele até as 4 da manhã. Roubou seu celular e r$100,00 em dinheiro. Abandonou-a no local e avisou: "Você não é a única, já estuprei várias mulheres". Ela foi ao Hospital de Cotia e depois fez B.O. na delegacia.

31 de julho de 2009 - P.M.S., de 32 anos, auxiliar de limpeza e moradora da Quinta dos Angicos, estava caminhando por volta das 05:30 hs na Avenida Odair Pacheco Pedroso, perto do Hospital de Cotia, quando um rapaz se aproximou a pé e correndo. Ela acredita que ele tenha saído do matagal ali existente. Deu uma gravata na vítima, encostou o canivete no pescoço dela e disse: "Isso é um assalto. Desce e não fala nada", disse se referindo a andar na trilha atrás do Cotia Saúde, que liga a avenida ao Recanto dos Victors.
Lá, ele pediu o celular e dinheiro, e como ela não tinha dinheiro, ele tirou a roupa da vítima e a violentou. Ela ficou em poder dele por 40 minutos, quando ele lhe deu um soco nas costas, mandou ela sair do local sem olhar para trás e sem ir à delegacia. Foi requisitado exame no Hospital Pérola Byington.

05 de agosto de 2009 - R.M.F., de 32 anos, auxiliar de produção, foi abordada na Estrada da Roselândia, no parque Riso, por volta das 21 horas. A vítima informou que ao descer do ônibus, foi abordada por um indivíduo usando touca preta, portando arma de fogo e uma faca. Ele obrigou a vítima a caminhar alguns metros em um lugar muito escuro, onde pediu dinheiro e celular. Em seguida, a estuprou. Depois disse: 'você está liberada, anda sem olhar para trás". A vítima foi encaminhada ao IML para exame.

13 de agosto de 2009 - A.S.R., de 29 anos, moradora dos Recanto dos Victors, foi abordada por um homem que disse estar armado e queria dinheiro. Ele a obrigou a acompanhá-lo para o matagal atrás do IML onde obrigou-a a fazer sexo oral e na negativa, mandou-a tirar a roupa para estuprá-la. Foi quando notou a presença de alguém e a empurrou com violência e correu pelo meio do mato.
Para sorte dessa moça, estava passando uma viatura da Guarda Civil no local e ela pediu ajuda. Logo avistaram o homem a quem ela reconheceu, porém ao ver a viatura ele fugiu. A GCM pediu reforço pelo rádio e ele foi preso em seguida perto da Raposo Tavares. Revistado, ele não portava arma, mas tinha no bolso um pouco de maconha e foi informado que ele era procurado pela justiça pública.

RETRATO FALADO:
A vítima S.M.S., não reconheceu o homem preso ontem como sendo seu agressor, mas se dispos a ir até a seccional de Carapicuíba, onde fez um retrato falado do homem que a violentou.
Ela conversou na delegacia com o Viva Cotia, e nos contou que é vizinha da vítima do homem que foi preso no ponto de ônibus, há 01 mês. Disse que ambas chegaram a achar até que o maníaco que atacou as duas era a mesma pessoa, por conta da semelhança dos fatos e do que eles falavam para elas. "Ele dizia que sabia onde eu morava e fazia tempo que estava me observando. Sabia onde eu trabalhava, a que horas eu chegava, tudo", contou. "E dizia que tinha sido mandado pra fazer aquilo, exatamente o que o outro cara falou pra minha vizinha", disse.
S.M.S. nos disse ainda que há mais casos na sua vizinhança, porém as mulheres tem medo e não registraram boletim. "Uma delas foi até embora daqui", relatou.
Na hora do reconhecimento, porém, S.M.S. não reconheceu o agressor da amiga como sendo o mesmo que a violentou. Deduziu-se que há mais de um suspeito na região e isso fez com que ela resolvesse tomar coragem e fazer o retrato falado.
A polícia acredita que após divulgado o retrato falado, outras vítimas aparecerão. Se alguém conhecer esse rosto, não precisa se identificar.
É só ligar 181, no Disk-denúncia.
AJUDE A POLÍCIA A PRENDER ESSE INDIVÍDUO.

Moreno, 1,70m, cabelo tipo moicano preto com luzes, o rosto bem fino com bochechas afundadas e tem sotaque baiano























0 comentários:

Postar um comentário