E-mail: bloggccgs@gmail.com

Rádio OnLine Toque Da Cidade

1 de ago de 2014

Guarda Civil de Cotia localiza Mulher condenada a 28 anos de prisão em Caucaia

Por volta das 11hs desta quarta-feira(30), uma mulher foi presa em um sítio localizado no bairro Jd. Santana, em Caucaia do Alto, acusada de participação em um latrocínio.
Ela estava foragida da Justiça, procurada e condenada à 28 anos de prisão pela morte do funileiro José Carlos Solera, de 55 anos, conhecido como "Zé Linguiça", ocorrida no dia 1º de junho de 2011, em São Roque.

Segundo informações, na época, a mulher teria contado ao namorado e cúmplice, que havia escutado a vítima dizer que iria receber um dinheiro, cerca de R$30 mil reais. Na ocasião do crime, após ser abordada, a vítima teria sido morta à pauladas, com requintes de crueldade e disparo de arma de fogo.
A prisão
Jamile Marcele Domingues Pedroso, de 27 anos, foi encontrada após um árduo trabalho de investigação da Polícia Civil de Ibiúna. A prisão contou com o apoio da Guarda Civil de Cotia.
A criminosa se escondia em uma chácara localizada próxima da Cachoeira, em Caucaia do Alto. Ela se encontrava foragida pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte).

As investigações dos policiais civis de Ibiúna fizeram com que as autoridades obtivessem pistas sobre o paradeiro de Jamille. Informações davam conta que ela estaria escondida entre Ibiúna e Caucaia do Alto. A Polícia Civil de Cotia entrou em contato com o setor de inteligência da Guarda Civil de Cotia que, por conhecer melhor a área, passou a auxiliar nas investigações.

Por volta das 9hs da manhã de hoje, dois investigadores da Polícia Civil, a patrulha rural e o comando de área da Guarda Civil de Cotia, foram até o local apontado, onde permaneceram de campana.
Após quase uma hora só observando, e munidos de informações de que no local viviam um senhor, a filha dele e o marido, os guardas usaram a desculpa de terem recebido denúncia de maus tratos contra animais, e então se aproximaram. Uma câmera de monitoramento chamou a atenção dos guardas, que tocaram o interfone e foram atendidos por uma voz feminina que se identificou como Andressa.
Em seguida, o senhor, que estaria capinando, apareceu e, ao ver os guardas, demonstrou certo nervosismo, informando que a moça que havia atendido o interfone era sua neta.
Ao entrar na residência, os guardas notaram que não havia ninguém em seu interior e neste momento visualizaram o cachorro da casa correndo em direção ao mato.
Os guardas o seguiram e lá encontraram Jamille, escondida em uma vala. Ao ser abordada, ela não esboçou reação e acabou se entregando, confessando a participação no crime.
 
Denúncia e investigação
Na época do crime os ladrões foram identificados, acusados do roubo seguido de morte. A identificação só foi possível por que um mês depois, uma pessoa procurou o presidente do Conseg - Conselho de Segurança do bairro, dizendo que queria passar informações sobre um crime ocorrido na cidade.
A testemunha contou sobre as pessoas que estariam envolvidas no crime, passando nomes, fotos e endereços. O presidente procurou o delegado de São Roque, que junto à sua equipe passou a investigar o caso.
A vítima era uma pessoa conhecida na região e muito querida, o que gerou grande repercussão do caso. "Foram dois anos de investigação até o desfecho de hoje", disseram os policiais.
 
Jamile foi encaminhada para a Cadeia Pública de Votorantim. Ela cumprirá pena de 28 anos de prisão por latrocínio. O namorado de Jamille permanece foragido.
Atenderam a ocorrência as equipes da Polícia Civil de Ibiúna e o setor de inteligência da Guarda Civil, com apoio da viatura do comando de área, Inspetor J. Roberto e Gc Augusto e da viatura 1327 da Patrulha Rural, GC´s Neves e Soares.
Fonte: Portal Viva/Fau Barbosa

Por: Souza Lima

0 comentários:

Postar um comentário